VOCÊ CONHECE: BERNARDO PELLEGRINI? [4/4]

COMPOSIÇÕES

Dá um play nessa playlist gostosa e leia com calma os poemas e trechos de canções de Bernardo Pellegrini:




LUNAGENS

Lunagens na névoa
Paisagem de um blues 
Seu rosto todo azul
Auréola de luz ígnea no céu

Dilúvio níveo véu
Plumagens de trigais
Estrias azuis
Um fio de prata no breu

Viagem volúvel
Na sobra dos pastéis
Fulgor frio de gás
Marolas febris de íris lilás

Insígnias selvagens
Nos lábios dos faróis
Estranhos sinais
Parábolas de imagens no ar

(de Humano Demais, 1990)


ENTRE UM OUTUBRO E OUTRO

Entre um outubro e outro
entra outubro, sai outubro

se faz calor me descubro
se faz frio me cubro

entre um e outro
outro outubro

faz frio me cubro
calor descubro

como um samurai embainha o sabre
quando descobre a flor que abre

outro outubro

frio me cubro
calor descubro

entre um outubro e outro

(de É Isso Que Vai Acontecer, 2010)

CARAMUJO

De tudo me sujo
do azul do azulejo me sujo
na água da chuva sujo
na enxurrada

de tudo me sujo
me sujo de tudo o que eu vejo
sujo do seu beijo sujo
do desejo mais vagabundo

de tudo me sujo
como todo mundo me sujo
tudo atinge meu refúgio
tudo tinge minha casa de caramujo

luz, câmera, ação:
às vezes me pego fugindo
em minha própria direção

(inédito)

PECADINHO

meus pecados
eu faço
picadinho

pecado
por pecado

pedacinho
por
pedacinho

meus pecados
eu pego
e pico

pedaço 
por 
pedaço

pecadinho
por
pecadinho

(inédito) 

JASMIM

deixe quieto
fique assim

carne na carne
do jasmim

a pétala cai
e fim

(inédito)

QUERO SEU ENDEREÇO

Quero seu endereço
Quero seu endereço
Quero seu endereço

Atravessando atravesso
Através do tráfego
Trafego trôpego

Passo sobre passo
Caço a brasa
Do seu abraço

Dorso sobre dorso
Braço sobre braço
Pescoço contra pescoço

Eu vou deitar de bruços
Pra beber a água
Do seu poço

Quero seu endereço
Quero seu endereço
Quero seu endereço

Eu tô ligado na manobra
O amor é mão de obra
Você põe a mão na massa
Amassa amassa
A massa do amor dobra

Quero seu endereço
Quero seu endereço
Quero seu endereço

(de Quero Seu Endereço, 1998)


boneco
no espelho

o ventríloquo
conversa

com o
joelho

(inédito)


NOITE DE LONGOS PUNHAIS

foi minha noite de longos punhais
as sombras dos homens
nas grandes nuvens de Magalhães

legiões de miseráveis
da grande cidade
tremores e febres
depois da notícia ruim

noite de longos punhais

foi minha noite de longos punhais
fantasmas por detrás
dos lençóis nos quintais

os vultos dos casais
dançando ao som de cristal
legiões de anjos azuis
bruxuleando na noite

noite de longos unhais

(de Quero Seu Endereço, 1998)



PROMETEU

Prometeu o céu
e não cumpriu

Prometeu a luz
desapareceu

Prometeu a paz
e se confundiu

Prometeu azul
não aconteceu

O poeta é seu
o poema é um véu

Prometeu a lua
ficou no papel

(de É Isso que Vai Acontecer, 2010)


PARECE PARIS

Tarde fria
Chuva fina

Parece Paris

Seus bulevares
Suas bovarys

Seus cabarés de jazz
Seus covis

Seus bares
Bares de Paris

Seus pares boiando
Na luz dos renoires

(de Quero Seu Endereço, 1998)




Beijos até mais :*

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS 17 MELHORES SUSPENSES DE TODOS OS TEMPOS

VOCÊ CONHECE: BERNARDO PELLEGRINI? [3/4]

DIÁRIO DE LEITURA - A GUERRA DOS TRONOS #1